INSTITUCIONAL NOTÍCIAS VÍDEOS AVISOS PRODUTOS CONTATO
Última Notícias
2º Encontro Jovem Cotapel
24/09/2018 - 11h09mm
ECONÔMIA
Dólar acentua queda e chega a R$ 4,02
21/09/2018 - 14h09mm
Mais notícias
SOJA
Soja em Chicago reage com relatório do USDA
11/04/2018 - 08h04min
Soja em Chicago reage com relatório do USDA, mas não tem força para sustentar as altas

Preços da soja encerram com ganhos inferiores a 3 pontos nos primeiros vencimentos

O pregão desta terça-feira (10) teve um encerramento positivo aos preços da soja negociados na Bolsa de Chicago (CBOT), porém longe das máximas verificadas ao longo da sessão. As principais posições da oleaginosa encerraram o dia com altas entre 2 e 4 pontos com maio/18 cotado a US$ 10,49 por bushel,alta de 2,75 pts, julho/18 finalizado a US$ 10,60 por bushel e elevação de 2,75 pts e o vencimento setembro/19 subindo 4 pts cotado a US$ 10,52 por bushel.

Antes mesmo da divulgação do relatório mensal de oferta e demanda do USDA ( Departamento de Agricultura do EUA) os preços registravam alta com a informação de que a Argentina teria comprado 120 mil toneladas de soja americana e outros destinos consumido mais 250 mil toneladas, um alento para as vendas do grão nos EUA que seguem atrasadas.

Com os números do relatório apontando para uma redução nos estoques americanos, movimento contrário ao esperado pelo mercado, os futuros da soja chegaram a subir a uma máxima desde 9 de março, mas não deram conta de se sustentar à medida que os investidores analisavam com mais calma os números divulgados. No final da sessão, as cotações encerraram positivas, porém, distantes das máximas do dia. Para Ginaldo de Souza, da Labhoro Corretora, com os números colocados à mesa e sem força para mudar os rumos dos preços da oleaginosa no mercado, o foco agora se volta para o plantio da safra americana. "Os preços (da soja) estão à merce do clima nos EUA", completa o analista.

Outro fator que também tem chances de mexer com os preços da soja é a disputa comercial entre China e EUA. No entanto, Ginaldo de Souza acredita que a forma diplomática como a China vem conduzindo as negociações, mostra que o peso dessa discussão deve ser menor à medida que o mercado confirme a dependência dos chineses em relação ao produto americano.

"Nesse momento o mercado está altista para os preços", pondera o analista. A volta da demanda pela soja americana que parece estar se consolidando e as dúvidas sobre o real tamanho da nova oferta americana na próxima safra, vão deixar o mercado sensível e com muita volatilidade nas próximas semanas.

Tags: Soja
Fonte: Notícias Agrícolas
A Cotapel
A Cooperativa Agrícola Tapejara Ltda denominada COTAPEL, iniciou suas atividades em 23 de outubro de 1985.
Surgiu a partir da crise vivida pela Coopasso no ano de 1984, quando produtores vinculados à unidade de Tapejara, resolveram construir sua pr...
+ Saiba mais
Mapa do site
- Home

- A Cotapel


- Cotações
- Notícias

- Produtos

- Fale conosco
Contato
Av. 7 de Setembro, 2155 - Bairro São Paulo
CEP 99950-000 Tapejara - RS
Fone: (54) 3344.1588 / 3344.1296
cotapel@netvisual.com.br
Direitos reservados à Cotapel. Desenvolvido por